Microcervejarias deixam de ser um hobby e viram oportunidade séria de negócio

Microcervejarias deixam de ser um hobby e viram oportunidade séria de negócio

29 July, 2017

Resultado de imagem para micro cervejarias

As micro e nano cervejarias, assim conhecidas aquelas empresas que se dedicam a produção de cervejas e chopps artesanais – e muitas vezes surgem entre grupos de amigos que apreciam a iguaria e querem dar o seu toque pessoal na cerveja – vem crescendo de maneira acelerada e tornando-se, mais do que um simples hobby com os amigos, uma oportunidade séria de negócio.

A crise econômica que atinge o Brasil não freou o crescimento das microcervejarias, muito por conta do tipo de consumidor que é o alvo destas, que é prioritariamente um público com renda maior e que pode se dar ao luxo de gastar um pouco em matéria de cerveja. Sendo assim, o consumo cresceu em torno de 20% no último ano, e a tendência é de que existam em torno de 500 microcervejarias operando em todo o país até o final de 2017 – além, é claro, das milhares nanocervejarias, cujo objetivo inicial é ter aporte financeiro e de clientela para que tornem-se micro.

Mas qual a diferença entre as duas? a nanocervejaria é assim considerada aquela produção caseira; pode ter equipamentos avançados para a produção, mas a escala é reduzida se comparada às microcervejarias. Estas, por sua vez, podem ser consideradas uma evolução daquelas, na medida em que são empresas efetivamente constituídas e legalizadas, com produção mensal igual ou maior que 200 mil litros.

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), atento à este nicho do mercado, participará do Brasil Brau, Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja, a ocorrer entre os dias 26 e 28 de julho deste ano, no Centro de Exposições São Paulo Expo, na cidade de São Paulo. Lá haverá um estande do órgão, onde os frequentadores poderão receber informações relativas à forma que o Sebrae apoia as microcervejarias Brasil afora – os maiores focos de empresas do tipo estão nos estados de Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

É importante que este tipo de comércio saiba que possui apoio, e saber, inicialmente, a forma de captar clientela é vital quando da abertura de um negócio (ou da evolução de um simples hobby para algo comercial). Sendo assim, o público das microcervejarias seria aquele que tem condições e gostaria de pagar um pouco mais para beber algo de melhor qualidade que as já conhecidas marcas comerciais de larga escala brasileiras em matéria de cerveja.

Mais informações acerca do Sebrae e de seu apoio às microcervejarias podem ser encontradas no site da entidade.