A rede de brinquedos Toys “R” Us entrou com pedido de recuperação judicial

A rede de brinquedos Toys “R” Us entrou com pedido de recuperação judicial

2 October, 2017

A rede do setor de brinquedos Toys “R” Us, entrou com um pedido na última segunda-feira de recuperação judicial. Ela é mais uma grande empresa desse segmento, que está enfrentando sérios problemas para conseguir sobreviver, com a concorrência da Wal-Mart Stores, da Amazon.com e também pelo aumento das vendas do mercado eletrônico. A rede possui cerca de US$ 5 bilhões em dívidas, que para serem quitadas necessitariam do pagamento de US$ 400 milhões por ano.

A Toys “R” Us possui cerca de 1.600 lojas espalhadas pelo mundo, e tem grandes chances de conseguir passar por essas sérias dificuldades, já que alguns dos maiores fabricantes de brinquedos necessitam dessa rede, que é a última gigante do setor. Empresas como  a MGA Entertainment, a Mattel  e Hasbro, precisam de qualquer benefício que resta contra o controle exercido pela Wal-Mart e pela Amazon, que é a desgraça das outras companhias que estão centralizadas em uma exclusiva categoria, de bens utilizados pelas pessoas.

Isaac Larian, fundador e CEO da MGA, declarou que Toys ’R’ Us é muito importante, que não existe fabricante de brinquedos sem a existência dessa rede. Essas lojas são as últimas onde as crianças podem ir, e escolher os seus brinquedos.

A empresa declarou que não está nos seus planos fechar os seus pontos de venda, e que os seus trabalhos seguirão habitualmente em suas lojas Toys ’R’ Us, da mesma forma que na Babies “R” Us, e também nos sites. Nos diversos acordos feitos pela rede com os seus credores, eles proíbem que a Toys ’R’ Us feche algumas de suas lojas, o que não permite que ela reduza a sua rede. Mais de 250 lojas que ficam fora do território americano e canadense, não estão incluídas nesse pedido feito pela empresa.

A rede entrou com o pedido nesse momento, devido ao fato de que 40% dos seus provedores deixaram de fazer suas entregas, solicitando o pagamento à vista de suas mercadorias. Dave Brandon, CEO da Toys “R” Us, falou que a companhia precisa preparar um estoque para o período das férias, que constituem 40% de todo o seu lucro anual.