Café especializado mostra tendência de crescimento

Café especializado mostra tendência de crescimento

9 December, 2017

O café é uma bebida que cativa consumidores em diferentes partes do mundo. Os estabelecimentos especializados nesse consumo são um ponto de encontro para quem deseja tomar um café de qualidade. Além de se tornarem cada vez maiores, as cafeterias especializadas estão demonstrando que o consumidor tem um hábito que deve ser observado pelo mercado, o que está acontecendo hoje nos balcões pode mostrar as futuras influências do consumo doméstico e em grande escala do café.

O crescimento de redes próprias ou de franquias, pontos comerciais em um formato artesanal ou de laboratórios de empresas para analisar os desejos do consumidor está apresentando um aumento nesses últimos anos. A rede mineira, Cheirin Bão, criada em 2014 e dirigida por Wilton Bezerra, já produziu cerca de 50 mil doses da bebida, tem 20 lojas distribuídas em 18 estados, nove novas unidades estão em processo de abertura em diversas cidades como São Luís, Salvador e Macapá.

Segundo a Associação Brasileira de Franchising, durante os últimos quatro anos houve um aumento de 10,2% do número de cafeterias que foram abertas, no ano passado a quantidade de 782 subiu para 862. Os cafés, como são chamados os lugares especializados que servem essa bebida, são aproximadamente 3,5 mil, incluindo as marcas independentes. Entre as 40 redes, algumas possuem até 50 lojas.

A tendência que teve início nos Estados Unidos mostra um crescimento que é esperado no Brasil, assim como já está acontecendo na Europa. Neste ano o Reino Unido deve ter um consumo de café de 2,3 bilhões de xícaras, crescendo em 4% em relação ao ano passado, até 2025, serão US$ 23 bilhões que serão movimentados, de acordo com Allegra World Coffee Portal, plataforma de informações na área.

Com um escritório na Suíça, a Atlantica Coffee, pertencente ao grupo brasileiro Montesanto Tavares, está de olho nesse mercado. Para identificar melhor o comportamento dos consumidores, a empresa recentemente abriu um laboratório de teste de tendência de consumo na Suécia. Rogério Schiavo, CEO da Atlantica Coffee, afirma que hoje as cafeterias não estão interessadas em apenas vender café, mas também conceitos e por isso são importantes para indicar tendências.