Com planos para a expansão online, Livraria Cultura compra o site Estante Virtual

Com planos para a expansão online, Livraria Cultura compra o site Estante Virtual

15 January, 2018

Acaba de ser divulgado que a rede de lojas da Livraria Cultura comprou o site de compra e venda de livros novos, de seminovos e de usados, a Estante Virtual, que é considerada a maior rede de sebos em território nacional.

A Estante Virtual é um portal brasileiro de comércio eletrônico, que apresenta cerca de quatro milhões de pessoas em seu cadastro e já vendeu em torno de 17,5 milhões de livros, sendo que agora ela pertence à Livraria Cultura.

A negociação está dentro dos planos de expansão traçados pela Livraria Cultura, que iniciou quando a empresa adquiriu em julho de 2017,  a Fnac no Brasil,  segundo uma declaração feita pela empresa através de uma nota à imprensa. E a expansão não termina aí, há alguns meses atrás a Livraria Cultura declarou que fez uma associação das suas vendas com o site do Mercado Livre.

Fazendo parte do mercado desde 2005, quando o empresário do Rio de Janeiro, André Garcia, criou a Estante Virtual para funcionar como uma plataforma de livros novos, mas que também faziam parte do site livros seminovos e livros usados. Nele também é possível adquirir livros raros e aqueles que estão esgotados nas livrarias tradicionais, fazendo uma conectividade nunca antes vista com todos os sebos, livreiros e também com os leitores de todas as partes do país.

Em nota, o CEO da Fnac Brasil e da Livraria Cultura, Sergio Herz, ressaltou os aspectos similares entre a Livraria Cultura e a Estante Virtual, que são a diversidade de livros, a reutilização dos exemplares, a teoria de que o conhecimento é um direito de todos, o objetivo de alcançar uma melhora na tecnologia da empresa e estar sempre procurando se renovar.

Há setenta anos no mercado e muito o que comemorar, a Livraria Cultura consegue com essa compra seguir os seus planos de expansão no país, no setor de vendas eletrônicas. A companhia tem expectativas de que haja um aumento de cerca de 60% nas vendas pela internet, nos dois próximos anos. Outra empresa que já permitia essas operações de livros novos e também usados através de suas plataformas, é a Amazon.